Cidade do Cabo

Qualquer visita à Cidade do Cabo fica marcada pelos humores da Natureza. As condições atmosféricas nunca chegam a ser severas a ponto de perturbar o turista, mas podem interferir com os planos de uma vis(i)ta incontornável: a Table Mountain (www.tablemountain.net).

Com 1085 metros de altitude, esta montanha-postal ilustrado tem 260 milhões de anos, oferecendo vistas privilegiadas da cidade, de outras formações montanhosas famosas, como os 12 Apostles, Devil's Peak, Lion's Head; de novas construções, como o estádio erguido para o mundial; ou cenários históricos como a Robben Island, a ilha-penitenciária onde Mandela esteve preso.

Viajar pela Cidade do Cabo equivale a recuar no tempo para descobrir uma região plena de interesse histórico. A travessia do Cabo da Boa Esperança, dobrado pela primeira vez em 1488 por Bartolomeu Dias, e ensinada com aprumo nas escolas portuguesas, marca o início de séculos de ocupação e conflito que acabariam por transformar a África do Sul no país colorido e multicultural que hoje é.

Depois dos portugueses, que nunca chegaram a fixar residência, os holandeses, chegados em 1652, contribuíram para uma herança cultural evidente. Para conferir de perto esse passado, nada melhor do que uma visita até Constantia, região famosa pelos vinhos (e agora também pelo restaurante La Colombe, considerado o melhor do país).

De regresso ao centro, a vida urbana segue animada no Victoria & Alfred Waterfront (www.waterfront.co.za). No Victoria Wharf, centro comercial sofisticado com lugar para marcas internacionais, também se descobrem referências locais, como a Carrol Boyes, designer sul-africana que cria peças contemporâneas em estanho e aço inox, ou a Melissa's, uma rede de delicatessen charmosos.

Cá fora, as esplanadas e pequenos anfiteatros ao ar livre são locais de eleição para ver o pôr-do-sol, ao som de artistas de rua ocasionais que oferecem a banda sonora perfeita para um final de dia perfeito.

www.rotasedestinos.pt